Consumidor exigente, sinônimo de alimentos seguros

05/04/2016
Por: Juliana Menegazzi

Para qualquer lugar que você olhe, existe um supermercado, padaria, restaurante, lanchonete, barraquinha, churrascaria, pizzaria, doceria...ufa! O que não faltam são lugares que oferecem alimentos, não é? Mas será que são alimentos seguros?

Você confia em tudo o que consome? Aqui, gostaria de propor a você, leitor, a pensar naquele franguinho assado de domingo, no pão quentinho de toda manhã ou aquela torta de morangos que veio da padaria para a sobremesa.

Não costumamos refletir muito, mas sempre tem um na família que diz: “Se você for pensar em tudo isso, vai deixar de comer tudo!”, mas devemos pensar sim, sobre os riscos que um alimento, aparentemente inofensivo, pode trazer, afinal é a nossa saúde que está em questão. Devemos não só pensar sobre isso, como também conferir questões como: quais são as condições do estabelecimento? Como é a higiene nos bastidores? Utilizam produtos dentro do prazo de validade? Os funcionários cumprem as normas de manipulação e higiene pessoal? Reaproveitam sobras? Produzir alimentos seguros é uma obrigação do produtor.

Você sabia que existe uma lei que garante que você possa visitar a cozinha dos estabelecimentos? Não tema em parecer desagradável ou intrometido, pois somente assim é que o local vai se preocupar cada vez mais com seus processos.

Pense, por exemplo, na padaria próxima a sua casa, quando você chega e pergunta: “Esse pão é de hoje?” Qual é a resposta mais freqüente? São raríssimos os locais que vão dizer “não, isso é da semana passada!”. Sim, existem locais idôneos que cumprem as exigências sanitárias e não deixam de dizer a verdade, porém, quanto maior for a sua exigência como consumidor, maior será a preocupação com alimentos seguros.

Seja crítico, observe a higiene do local e dos funcionários. Ficou na dúvida sobre alguma coisa, peça pra dar uma olhada no local de produção; viu algo que não lhe agradou, fale com a gerência. Você deve exigir que os alimentos sejam seguros para o seu consumo!

Faça valer seu direito como consumidor, pois é você que determina o quão seguro será o alimento que irá consumir e trazer para dentro da sua casa.

Lembre-se, uma loja bonita, um doce bem confeitado ou um funcionário atencioso, não garantem nada.